TRANSPORTES https://www.revistatransportes.org.br/anpet <p>TRANSPORTES (ISSN: 2237-1346) é o único periódico técnico-científico nacional que publica artigos em todos os campos da Engenharia de Transportes e ciências afins. Manuscritos submetidos para publicação são analisados por especialistas de renome nacional e internacional. TRANSPORTES tem periodicidade quadrimestral e é uma publicação da Associação Nacional de Pesquisa e Ensino em Transportes - <a href="http://www.anpet.org.br" target="_blank" rel="noopener">ANPET</a>, uma entidade que reúne pesquisadores, especialistas e estudantes do Brasil e do exterior.</p> <div style="background-color: yellow;"> <p>Em função das restrições e impactos da COVID-19, o atendimento aos leitores, avaliadores e, principalmente, aos autores poderá ser menos rápido que o normal. Todo o nosso corpo editorial é formado por voluntários que também estão sendo afetados pelas medidas adotadas para contenção dessa pandemia. Contamos com sua compreensão.</p> </div> pt-BR <p>Ao submeter um manuscrito para publicação neste periódico, todos os seus autores concordam, antecipada e irrestritamente, com os seguintes termos:</p><ol><li>Os autores mantém os direitos autorais e concedem à Revista TRANSPORTES o direito de primeira publicação do manuscrito, sem nenhum ônus financeiro, e abrem mão de qualquer outra remuneração pela sua publicação pela ANPET.</li><li>Ao ser submetido à Revista TRANSPORTES, o manuscrito fica automaticamente licenciado sob a Licença <em>Creative Commons Attribution</em>, que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e da publicação inicial neste periódico.</li><li>Os autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para<strong> distribuição não exclusiva</strong> da versão do trabalho publicada neste periódico (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento da publicação inicial nesta revista, desde que tal contrato não implique num endosso do conteúdo do manuscrito ou do novo veículo pela ANPET.</li><li>Os autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) depois de concluído o processo editorial. Como a Revista TRANSPORTES é de <strong>acesso livre</strong>, os autores são estimulados a usar links para o site da Revista TRANSPORTES nesses casos.</li><li>Os autores garantem ter obtido a devida autorização dos seus empregadores para a transferência dos direitos nos termos deste acordo, caso esses empregadores possuam algum direito autoral sobre o manuscrito. Além disso, os autores assumem toda e qualquer responsabilidade sobre possíveis infrações ao direito autoral desses empregadores, isentando a ANPET e a Revista TRANSPORTES de toda e qualquer responsabilidade neste sentido.</li><li>Os autores assumem toda responsabilidade sobre o conteúdo do trabalho, incluindo as devidas e necessárias autorizações para divulgação de dados coletados e resultados obtidos, isentando a ANPET e a Revista TRANSPORTES de toda e qualquer responsabilidade neste sentido.</li></ol><p> </p> secretaria.transportes@anpet.org.br (Mariane Petroski) secretaria.transportes@anpet.org.br (Mariane Petroski) Tue, 12 Jul 2022 00:00:00 -0300 OJS 3.3.0.7 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 UAI-FI: Utilização de Inteligência Artificial para contagem automática de passageiros através de Wi-Fi e dados GPS https://www.revistatransportes.org.br/anpet/article/view/2555 <p>Saber a quantidade de passageiros que utilizam o sistema de transporte público é uma informação importante para planejá-lo. Várias iniciativas começaram a explorar pacotes Wi-Fi gerados pelos smartphones de passageiros como meio de obter essa informação. Esses pacotes podem ser interceptados por sensores dentro dos ônibus. Através da aplicação de filtros, por exemplo, que verificam se a intensidade do sinal é maior que um limiar, o sensor pode inferir a presença/ausência do passageiro. Entretanto, tais limites são definidos arbitrariamente, podendo causar erros, por exemplo, quando próximos de pontos de paradas. Para resolver esse problema, este artigo propõe um método (UAI-FI) baseado em uma técnica de inteligência artificial (Support Vector Machine) para classificar a origem dos pacotes como dentro ou fora do ônibus. Para validar o UAI-FI, foi feito um teste e comparação com outros trabalhos em uma linha de ônibus de Goiânia/Brasil. Os resultados sugerem que o método obteve um desempenho superior as outras abordagens. Ademais, foi capaz de classificar com sucesso a fonte dos pacotes, contabilizando 83,3% e 88,5% do total de embarques e desembarques da linha. Apesar da similaridade, ressalta-se que a contagem apresentou uma defasagem temporal com a feita manualmente, indicando que a frequência na transmissão de pacotes Wi-Fi pode fazer com que a presença/ausência de passageiros seja percebida em paradas diferentes.</p> Marcos Paulino Roriz Junior, Ronny Marcelo Aliaga Medrano, Cristiano Farias Almeida Copyright (c) 2022 Marcos Paulino Roriz Junior, Ronny Marcelo Aliaga Medrano, Ronny Marcelo Aliaga Medrano, Cristiano Farias Almeida, Cristiano Farias Almeida http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://www.revistatransportes.org.br/anpet/article/view/2555 Sat, 06 Aug 2022 00:00:00 -0300 Determinação da incerteza de medição nos ensaios de deformação permanente de solos lateríticos https://www.revistatransportes.org.br/anpet/article/view/2678 <p>Durante um processo de análise laboratorial de solos, diversas variáveis influenciam na determinação do parâmetro pretendido. Inerentemente, cada uma das variáveis apresenta incertezas associadas, que podem estar relacionadas a fatores como calibração, leitura de dados, imperícia, etc. Diante do exposto, o presente artigo tem como objetivo determinar a incerteza das medições das deformações permanentes em solos lateríticos. Foram utilizados dados experimentais obtidos de ensaio triaxial de cargas repetidas realizados em areia argilosa do município de Mimoso do Sul, estado do Espírito Santo. A metodologia utilizada engloba as incertezas associadas à tensão confinante ( , à tensão de desvio ( ) e ao número de ciclos (N) , em geral informadas por certificado de calibração. As amostras foram divididas em dois grupos, diferenciados apenas pelo valor de aplicado. Os resultados das medições de dois grupos de ensaio são expressos em forma de intervalo que inclui a incerteza calculada. Como resultado, pode-se observar que a incerteza de medição para o caso proposto não representa variação significativa do resultado para aplicação em pavimentos. Além disso, destaca-se a grande influência da tensão confinante na avaliação desse parâmetro ao comparar os resultados dos dois grupos. Concluiu-se que apresentar a incerteza das medições evidencia a confiabilidade e qualidade dos resultados.</p> Juliana Tanabe Assad dos Santos, Paulo Afonso Lopes da Silva, Antonio Carlos Rodrigues Guimarães Copyright (c) 2022 Juliana Tanabe Assad dos Santos, Paulo Afonso Lopes da Silva, Antonio Carlos Rodrigues Guimarães http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://www.revistatransportes.org.br/anpet/article/view/2678 Wed, 31 Aug 2022 00:00:00 -0300 Considerações sobre a Análise da Deformação Permanente no Método de Dimensionamento Nacional (MeDiNa) https://www.revistatransportes.org.br/anpet/article/view/2715 <p>A motivação para este estudo vem do avanço técnico-científico que ampliou as bases teóricas do dimensionamento de pavimentos ao longo do tempo e, principalmente, porque o Método de Dimensionamento Nacional (MeDiNa) propõe o uso do Flow Number do ensaio uniaxial de carga repetida na verificação de propriedades mecânicas da mistura asfáltica, como suficientes para eliminar outros ensaios relacionados à deformação permanente da camada asfáltica. Este artigo é uma revisão de literatura que aborda sobre métodos de dosagem de misturas asfálticas, resultados de ensaios de pavimentação em escala real e evolução dos métodos de dimensionamento de pavimentos, no que diz respeito ao entendimento da deformação permanente na camada asfáltica. As informações coletadas indicam que o Flow Number é um bom parâmetro (“é necessário”) para avaliar o comportamento de uma mistura asfáltica quanto à deformação permanente, mas, para uma melhor avaliação no MeDiNa, é necessário realizar outros testes (“não é suficiente”), incluindo testes de avaliação em larga escala e de longo prazo.</p> Paloma Morais de Souza, Fernanda Ligia dos Santos de Oliveira, Marcus Vinícius Paula de Lima, José Leomar Fernandes Júnior Copyright (c) 2022 Paloma Morais de Souza, Fernanda Ligia dos Santos de Oliveira, Marcus Vinícius Paula de Lima, José Leomar Fernandes Júnior http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://www.revistatransportes.org.br/anpet/article/view/2715 Wed, 31 Aug 2022 00:00:00 -0300 Investigação reológica da de compósitos asfálticos pela incorporação de nanopartículas de dióxido de titânio https://www.revistatransportes.org.br/anpet/article/view/2614 <p>A modificação de ligantes asfálticos são benéficas para melhoria do seu desempenho em rodovias proporcionando durabilidade, menor ocorrência de deformação permanente e maior vida de fadiga. Os principais agentes utilizados neste processo são polímeros, fíleres, fibras e, mais recentemente, nanomateriais, que têm apresentado viabilidade técnica e econômica. As nanopartículas foram incorporadas ao ligante asfáltico na concentração de 3% em relação à massa de ligante nas condições pura e modificadas superficialmente. Este estudo tem o objetivo de analisar o efeito da modificação superificial das nanopartículas em ligantes asfálticos utilizando três diferentes agentes: ácido oleico, álcool benzílico e oleilamina. Os resultados indicaram que a incorporação das nanopartículas modificadas superficialmente com oleilamina nos ligantes asfálticos 55/75-E e 50/70 permitiram atingir maior resistência ao envelhecimento e menor suscetibilidade a deformação permanente e às trincas.</p> Paulo Germano Tavares Marinho Filho, Lêda Christiane de Figueirêdo Lopes Lucena, Matheus Costa Lopes Copyright (c) 2022 Paulo Germano Tavares Marinho Filho, Lêda Christiane de Figueirêdo Lopes Lucena, Matheus Costa Lopes http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://www.revistatransportes.org.br/anpet/article/view/2614 Wed, 31 Aug 2022 00:00:00 -0300 Análise de benefícios econômicos de ciclovias usando o modelo HDM-4 - estudo de caso para o município de São Paulo https://www.revistatransportes.org.br/anpet/article/view/2695 <p>Além dos estudos técnicos, as ciclovias devem ser produto de políticas de planejamento e investimento considerando a capacidade dos projetos de gerar benefícios socioeconômicos, implementando análises objetivas de políticas relevantes para a viabilidade de projetos de implantação de ciclovias exclusivas. Neste artigo o modelo de Tráfego Não Motorizado (NTM) do software HDM-4 (Highway Development and Management Model 4) é aplicado para a análise de diferentes alternativas de ciclovias, avaliando aspectos como a demanda atual e potencial de ciclistas, a velocidade de operação, custos de capital e perfil econômico dos usuários de bicicletas. A combinação dessas variáveis leva a alternativas técnicas e econômicas cuja análise resulta em diferenças relevantes em seus indicadores de rentabilidade. As análises foram realizadas considerando dois cenários; o primeiro compreende a análise da rentabilidade de alternativas estruturadas com diretrizes normativas que, em termos de agilidade, representam condições ideais de operação; o segundo cenário consiste em uma avaliação mais realista para a cidade de São Paulo, considerando restrições de velocidade e diversificando o perfil do usuário de acordo com a renda per capita das principais regiões da cidade. Os resultados refletem a diversidade inter-regional sobre a conveniência de projetos de ciclovias com base apenas nos benefícios monetários de tempos de viagem reduzidos.</p> Luisa Fernanda Arango Álvarez, Jose Tadeu Balbo Copyright (c) 2021 Luisa Fernanda Arango Álvarez, Jose Tadeu Balbo http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://www.revistatransportes.org.br/anpet/article/view/2695 Wed, 31 Aug 2022 00:00:00 -0300 Caracterização de microesferas de vidro para retrorrefletividade de sinalização horizontal por técnicas de imagens https://www.revistatransportes.org.br/anpet/article/view/2584 <p>A retrorrefletividade da sinalização horizontal ocorre devido à presença de microesferas de vidro. Esse trabalho tem como objetivo comparar o desempenho de duas microesferas: G1 – nacional, produzida a partir de vidro reciclado; e G2 – importada, produzida com vidro virgem. O trabalho avaliou a retrorrefletividade de um trecho experimental no qual foram utilizadas duas tintas à base de água de diferentes fabricantes. Os equipamentos utilizados para a caracterização de tamanho e forma das microesferas foram o CamSizer e o <em>Aggregate Image Measurement System </em>(AIMS). Os resultados indicaram diferentes tendências para o decaimento da retrorrefletividade, o que foi atribuído às características das microesferas. A microesfera de vidro G1 apresentou propriedades de forma inadequadas, o que resultou na redução da retrorrefletividade. A caracterização por imagem foi útil para estimar a retrorrefletividade antes de sua aplicação em campo. Assim, G1 não pode substituir G2, considerando os requisitos de retrorrefletividade do Brasil.</p> Laura Nascimento Mazzoni, Deise D. N. Machado, Kamilla L. Vasconcelos, Liedi L. B. Bernucci, Guilherme R. Linhares, Verônica T. F. Castelo Branco Copyright (c) 2022 Laura Nascimento Mazzoni, Deise D. N. Machado, Kamilla L. Vasconcelos, Liedi L. B. Bernucci, Guilherme R. Linhares, Verônica T. F. Castelo Branco http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://www.revistatransportes.org.br/anpet/article/view/2584 Sat, 06 Aug 2022 00:00:00 -0300 Método para determinação da capacidade e de medidas de desempenho em zonas de obras de rodovias de pista simples https://www.revistatransportes.org.br/anpet/article/view/2685 <p>O presente estudo propõe um método para determinação da capacidade e de medidas de desempenho em zonas de obras de rodovias de pista simples. Para tanto, desenvolveu-se uma formulação matemática determinística, baseada em Teoria de Filas e nas semelhanças com a dissipação de veículos que ocorre em semáforos, o que permite estimar algumas medidas de desempenho como atraso e tamanho de pelotão. Foram desenvolvidas também equações para determinar a capacidade e o comprimento máximo de zona de obras, a partir de valores aceitáveis de medidas de desempenho. Para validação do método, utilizou-se um conjunto de dados de tráfego coletados em trechos de uma rodovia durante a execução de obras para calibrar e validar o simulador de tráfego Aimsun Next. Com o simulador calibrado, foi gerado um conjunto de dados sintéticos, a partir da simulação de diversos cenários hipotéticos, que serviram tanto para obter algumas variáveis do problema quanto para validar o método proposto. Por fim, foram comparadas medidas de desempenho – obtidas do modelo matemático proposto e em campo – tais como ciclo, tamanho de pelotão e atraso, as quais apresentaram resultados bastante aderentes.</p> Rafael Quintão de Andrade, José Elievam Bessa Júnior Copyright (c) 2022 Rafael Quintão de Andrade, José Elievam Bessa Júnior http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://www.revistatransportes.org.br/anpet/article/view/2685 Tue, 09 Aug 2022 00:00:00 -0300 Desenvolvimento de um índice de condição de pavimento flexível para rede de via urbana https://www.revistatransportes.org.br/anpet/article/view/2553 <p>Na gerência de pavimentos urbanos é primordial desenvolver índices de condição de pavimentos para dar suporte à Secretaria Municipal de Infraestrutura durante às tomadas de decisão sobre manutenção e reabilitação (M&amp;R). O objetivo foi desenvolver um índice de condição de pavimentos urbanos (ICPU) para pavimentos flexíveis e realizar uma análise comparativa com vários índices de condição de pavimentos (ICP). O método de trabalho consistiu em: definição do tamanho da amostra; criação de um grupo para avaliação e treinamento; coleta dados sobre o Valor de Serventia Atual (VSA) e defeitos dos pavimentos flexíveis; desenvolvimento de um ICPU; e, análise comparativa com vários ICP. O ICPU foi obtido por regressão linear múltipla com os defeitos e o VSA, em conformidade com várias análises estatísticas (testes de homoscedasticdade, correlação serial, multicolinearidade e normalidade). Os ICPs escolhidos resultaram em variabialidade entre eles e o VSA, que foi estatisticamente analisada por testes de erros e de correlação. Por fim, o ICPU proposto pode permitir melhor planejamento de M&amp;R, distribuição de recursos e pavimentos bem mantidos, com conforto, redução do tempo de viagem e segurança.</p> Tairone Paz e Albuquerque, Ricardo Almeida de Melo, Lucas Matheus Bezerra de Morais, Lucas Quintino Lira Oliveira, Azamor Cirne de Azevedo Filho Copyright (c) 2022 Tairone Paz e Albuquerque, Ricardo Almeida de Melo, Lucas Matheus Bezerra de Morais, Lucas Quintino Lira Oliveira, Azamor Cirne de Azevedo Filho http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://www.revistatransportes.org.br/anpet/article/view/2553 Tue, 19 Jul 2022 00:00:00 -0300 Análise da taxa de entrega de aplicativos de entrega instantânea e a remuneração dos entregadores em cidades brasileiras https://www.revistatransportes.org.br/anpet/article/view/2641 <p>Este artigo tem por objetivo identificar a relação da taxa de entrega e da remuneração dos entregadores de aplicativos em cidades brasileiras. Os dados referentes à taxa de entrega e à distância percorrida foram obtidos nos principais aplicativos de entrega para oito cidades brasileiras, dentre elas cinco capitais e 3 cidades do interior. Foi utilizado regressão linear para identificar uma relação entre a taxa de entrega e a distância. Os resultados mostraram diferença na taxa fixa e na taxa variável de entrega entre as cidades consideradas na análise. Para obtenção de uma remuneração básica, isto é, o salário-mínimo, o entregador precisa trabalhar mais de 44 horas semanais, realizando pelo menos uma entrega por hora a uma distância de 3km. Contudo, esta jornada de trabalho pode ser extenuante se as entregas forem realizadas por modos não motorizados.</p> Carine Aragão de Mello, Cheyenne Mariana de Oliveira Carneiro, Maria Leonor Alves Maia, Leise Kelli de Oliveira, Gracielle Gonçalves Ferreira de Araújo Copyright (c) 2022 Carine Aragão de Mello, Cheyenne Mariana de Oliveira Carneiro, Maria Leonor Alves Maia, Leise Kelli de Oliveira, Gracielle Gonçalves Ferreira de Araújo http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://www.revistatransportes.org.br/anpet/article/view/2641 Tue, 12 Jul 2022 00:00:00 -0300 Percepção e escolha do modo de transporte: análise fatorial descritiva e exploratória de um questionário piloto aplicado aos estudantes da UFRRJ (Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro) https://www.revistatransportes.org.br/anpet/article/view/2696 <p>As universidades geram um volume significativo de deslocamentos diários, além de ser um ambiente favorável ao desenvolvimento de novos hábitos e comportamentos, em decorrência da influência exercida entre seus frequentadores. Este estudo aplicou um inquérito, baseado nas Teorias do Comportamento Planeado e da Motivação Humana, aos estudantes da UFRRJ, com o objetivo de identificar fatores relevantes para decisões em transporte e coletar suas percepções sobre o sistema de transporte na região metropolitana do Rio de Janeiro. Os resultados foram alcançados por análise fatorial exploratória e entrevistas. Os resultados corroboram a já consolidada aplicação da Teoria do Comportamento Planeado nas pesquisas sobre transporte e confirma a existência de uma hierarquia de necessidades de transporte sugerida pela Teoria da Motivação Humana, o que destaca seu potencial como ferramenta de apoio à decisão no desenvolvimento de políticas de transporte. O estudo evidenciou ainda a relevância do tempo de viagem sobre outras necessidades, a forte influência dos atributos de segurança nas decisões de mobilidade e uma elevada consciência do papel social e inclusivo do transporte.</p> Christiane Aguiar de Andrade, João António de Abreu e Silva Copyright (c) 2022 Christiane Aguiar de Andrade, João António de Abreu e Silva http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://www.revistatransportes.org.br/anpet/article/view/2696 Wed, 31 Aug 2022 00:00:00 -0300 Efeitos do ato de desregulamentação de 1978 na indústria aeronáutica medidos pelo método da entropia estatística https://www.revistatransportes.org.br/anpet/article/view/2594 <p>Há muitos artigos e ensaios versando sobre os efeitos da deregulamentação de aviação civil em 1978, mas quase nenhum deles aborda os impactos na indústria aeronáutica e as ondas de imigração que ocorreram devido às passagens aéreas mais baratas. O presente trabalho propõe uma metodologia inovadora, baseada na teoria da entropia estatística, para analisar o impacto da deregulamentação de 1978 no projeto de aronaves de transporte à jato. O banco de dados usado para esta tarefa é composto por 121 aeronaves desde a década de 1950, evidenciando o efeito da deregulação sobre a diversidade de projetos logo após sua entrada em serviço. Além disso, a aplicação da distância euclidiana para o cálculo dos índices de difusão e convergência e seu resultado é analisado neste trabalho. Uma análise especial do setor regional do transporte regular de passageiros também é realizado aqui.</p> Bento Silva de Mattos, José Alexandre Tavares Guerreiro Fregnani, Jesuíno Takachi Tomita Copyright (c) 2022 Bento Silva de Mattos, José Alexandre T avares Guerreiro Fregnani, Jesuíno Takachi Tomita http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://www.revistatransportes.org.br/anpet/article/view/2594 Thu, 11 Aug 2022 00:00:00 -0300 Abordagem desagregada de distribuição de viagens urbanas: uma análise comparativa entre redes neurais e artificiais e modelos de escolha discreta https://www.revistatransportes.org.br/anpet/article/view/2686 <p>Este artigo propõe uma análise comparativa entre Redes Neurais Artificiais (RNAs), Logit Multinomial e Aninhado para uma previsão desagregada de distribuição de viagens urbanas. O estudo de caso foi a cidade de Santa Maria (RS). Os dados utilizados foram originados da pesquisa domiciliar, realizada para elaboração do Plano Diretor de Mobilidade Urbana. As comparações entre abordagens foram realizadas através de taxas de acertos e frequências de distâncias de viagens, mostrando que RNAs podem ser tão eficientes quanto os modelos de escolha discreta, sem assumir algumas restrições. Finalmente, com base nos resultados, pode-se afirmar que as RNAs são eficientes para previsão de alternativas com baixo número de observações. São importantes ferramentas para obtenção de matrizes O/D a partir de matrizes incompletas ou com baixos números de observações. Contudo, vale ressaltar que modelos de escolha discreta fornecem informações importantes, como significância estatística dos parâmetros estimados, elasticidades, valores subjetivos de atributos, etc. </p> Marina Urano de Carvalho Caldas, Cira Souza Pitombo, Felipe Lobo Umbelino de Souza, Renan Favero Copyright (c) 2022 Marina Urano de Carvalho Caldas, Cira Souza Pitombo, Felipe Lobo Umbelino de Souza, Renan Favero http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://www.revistatransportes.org.br/anpet/article/view/2686 Fri, 26 Aug 2022 00:00:00 -0300