Análise socioeconômica de alternativas para o transporte ferroviário de passageiros em uma rede regional

Cassiano Augusto Isler, João Alexandre Widmer

Resumo


Apesar da divulgação de estudos recentes sobre o transporte ferroviário de passagei-ros no Brasil, não existe na literatura uma comparação entre tecnologias para oferta desses serviços. Ao considerar uma hierarquia de serviços ferroviários, este artigo tem o objetivo de comparar a operação exclusiva de trens com velocidade média de 150 km/h (HPT) e 300 km/h (HST) em uma rede hipotética na Região Sudeste do país. Pelos resultados de uma Análise Custo-Benefício, os valores de investimentos estimados para construção da rede de HST são 5,36% superiores à de HPT. No âmbi-to estritamente econômico, sob diferentes cenários, nenhuma das tecnologias é viável de ser operada sem subsídio. Do ponto de vista socioeconômico, os benefícios sociais superam os custos econômicos na rede de HPT e HST quando as tarifas são, respectivamente, de R$0,40/km e R$0,75/km, ultrapassando o valor de 1,50 para a Relação Benefício-Custo somente pela operação de HST em cenários específicos.


Palavras-chave


Ferrovia, Passageiro, Escolha Modal, Análise Socioeconômica.

Texto completo:

PDF

Referências


Aguiar Júnior, S. R. (2004) Modelo RAPIDE: uma aplicação de mineração de dados e redes neurais artificiais para a estimativa da demanda por transporte rodoviário interestadual de passageiros no Brasil. Dissertação (Mestrado) – Universidade Católica de Brasília, Brasília, DF.

Alekseev, K. P. G. e J. M. Seixas (2002) Forecasting the air transport demand for passengers with neural modelling. In: Pro-ceedings of VII Brazilian Symposium on Neural Networks. Recife, Brazil, p. 86–91. DOI: 10.1109/SBRN.2002.1181440.

ANAC (1998) Agência Nacional de Aviação Civil – Demanda Global do Transporte Aéreo Brasileiro. http://www2.anac.gov.br/arquivos/pdf/ demandaGlobalTranspAer1998.pdf. Acessado em 17/04/2014.

ANAC (2012) Agência Nacional de Aviação Civil – Anuário do Transporte Aéreo: Dados Estatísticos e Econômicos de 2012. http://www2.anac.gov.br/arquivos/zip/Anuario2012.zip. Acessado em 12/11/2013.

ANTT (2011) Agência Nacional de Transportes Terrestres - Pesquisa Operacional: serviços interestaduais com extensão superior a 75 km. http://propass.antt.gov.br/. Acessado em: 15/03/2014

Batista, C. N. O. (2006) Contribuição à Análise da Capacidade de Processamento de Trens Cargueiros em Linhas Ferroviárias Sin-gelas no Brasil. Dissertação (Mestrado) – Departamento de Engenharia de Transportes, Escola de Engenharia de São Car-los, USP, São Carlos, SP.

Berechman, J. (2010) The evaluation of transportation investment projects. London: Routledge. DOI: 10.4324/9780203873281.

Boardman, A. E.; D. Greenberg; A. Vining e David Weimer (2011). Cost-Benefit Analysis: Concepts and Practice. Upper Saddle River :Pearson-Prentice Hall.

Cascetta, E. e S. Nguyen (1988) A unified framework for estimating or updating origin/destination matrices from traffic counts. Transportation Research Part B: Methodological, Elsevier, v. 22, n. 6, p. 437–455. DOI: 10.1016/0191-2615(88)90024-0.

CPTM (2014) Programa de Investimentos em Trens Regionais. http: //www.cptm.sp.gov.br/Obras/trens-regionais.asp. Acesso em: 21/08/2014.

Crainic, T. G.; T. Davidovic e D. Ramljak (2012) Designing parallel meta-heuristic methods. In: Despotovic-Zrakic, M.; V. Miluti-novic e A. Belic (Ed.) Handbook of Research on High Performance and Cloud Computing in Scientific Research and Edu-cation. Québec, Canada: IGI Global. DOI: 10.4018/978-1-4666-5784-7.ch011.

De Rus, G. e G. Nombela (2007) Is investment in high speed rail socially profitable? Journal of Transport Economics and Policy, JSTOR, v. 41, n. 1, p. 3-23.

De Rus, G.; I. Barrón; J. Campos; P. Gagnepain; C. Nash; A. Ulied e R. Vickerman (2009) Economic analysis of high speed rail in Europe. Spain: Fundación BBVA.

DfT (2014) Transport Analysis Guidance – WebTAG. https://www.gov.uk/transport-analysis-guidance-webtag. UK Department for Transport’s website for guidance on the conduct of transport studies.

Dreyer, S. B. (2010) Comparative Analysis of the Quality of Appraisal Practices for High Speed Rail Investments Projects in Europe. Dissertação (Mestrado) – Molde University College, Molde, Norway.

Gleave, S. D. (2004) High Speed Rail: International Comparisons. London: Commission for Integrated Transport.

Gonçalves, M. B.; E. T. Bez e A. G. Novaes (2007). Modelos econométricos aplicados à previsão de demanda por transporte interestadual de passageiros de ônibus no Brasil. Transportes, v. 15, n. 1, p. 24-33.

Hashem, I. A. T.; I. Yaqoob; N. B. Anuar; S. Mokhtar; A. Gani e S. U. Khan (2015) The rise of "big data"on cloud computing: Review and open research issues. Information Systems, Elsevier, v. 47, p. 98-115. DOI: 10.1016/j.is.2014.07.006.

Henderson, J. V. (2008) Regiões de influência das cidades 2007. Rio de Janeiro: IBGE.

IBGE (2014a). Instituto Brasilero de Geografia e Estatística – WebCart. http://www.ibge.gov.br/webcart/. Acessado em 23/02/2014. s_1980_2050.zip. Acessado em 20/03/2014.

IBGE (2014b) Instituto Brasilero de Geografia e Estatística – Projeção de Crescimento da População Brasileira. http://servicodados.ibge.gov.br/Download/Download.ashx?u=ftp.ibge.gov.br/Projecao_da_Populacao/Revisao_2008_Projecoes_1980_2050/Estimativa. Acessado em 13/04/2014.

Isler, C. A. (2010) Proposta de um Modelo de Capacidade de Processamento de Trens Cargueiros em Redes Ferroviárias de Linha Singela. Dissertação (Mestrado) – Departamento de Engenharia de Transportes, Escola de Engenharia de São Carlos, USP, São Carlos, SP.

Isler, C. A. e C. S. Pitombo (2014) Avaliação da escolha modal para o transporte ferroviário de passageiros na região sudeste através de árvores de decisão. In: Anais do XXVIII Congresso da ANPET - Associação Nacional de Pesquisa e Ensino em Transportes. Curitiba, PR: ANPET.

Isler, C.A. (2015) Avaliação socioeconômica de uma rede ferroviária regional para o transporte de passageiros. 299 p. Tese de Doutorado – Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo.

Jha, M. K.; P. Schonfeld; J.-C. Jong e E. Kim (2006) Intelligent Road Design. Boston: WIT Press.

Jong, J. C. e P. Schonfeld (2003) An evolutionary model for simultaneously optimizing three-dimensional highway alignments. Transportation Research Part B: Methodological, Elsevier, v. 37, n. 2, p. 107-128. DOI: 10.1016/S0191-2615(01)00047-9.

Kang, M.; M. K. Jha e P. Schonfeld (2012) Applicability of highway alignment optimization models. Transportation Research Part C: Emerging Technologies, Elsevier, v. 21, n. 1, p. 257-286. DOI: 10.1016/j.trc.2011.09.006.

Kim, E.; M. K. Jha e B. Son (2005) Improving the computational efficiency of highway alignment optimization models through a stepwise genetic algorithms approach. Transportation Research Part B: Methodological, Elsevier, v. 39, n. 4, p. 339-360. DOI: 10.1016/S0191-2615(04)00084-0.

Lai, X.; Schonfeld, P. (2016) Concurrent Optimization of Rail Transit Alignments and Station Locations. Urban Rail Transit, Springer, v. 2, n.1, p. 1-15. DOI: 10.1007/s40864-016-0033-1.

Livra (2013) Pesquisas online. http://www.livra.com/. Acessado em: 08/08/2013.

MPS (2013) Ministério da Previdência Social - Projeções Atuariais para o Regime Geral de Previdência Social. http://www12.senado.gov.br/orcamento/documentos/ldo/2014/elaboracao/projeto-de-lei/2014/anexo-iv.5-2013-projecoes-atuariais-para-o-regime-geral-de-previdencia-social-2013. Acessado em 16/12/2013.

Munasinghe, M. (2007) Multi-criteria analysis in environmental decision-making. Washington: Environmental Information Coalition, National Council for Science and the Environment.

NuvemUSP (2013) Ambiente de infraestrutura em nuvem da Universidade de São Paulo. https://nuvem.uspdigital.usp.br/. Aces-sado em 15/10/2013.

Ortúzar, J. D. e L. G. Willumsen (2011) Modelling transport. 4. ed. [S.l.]: John Wiley & Sons Ltd. DOI: 10.1002/9781119993308.

Pitombeira Neto, A. R.; B. V. Bertoncini e C. F. G. Loureiro (2011) Abordagem bayesiana na estimação de matrizes origem-destino sintéticas em redes de transportes. Anais do XXV Congresso da ANPET - Associação Nacional de Pesquisa e Ensino em Transportes. Belo Horizonte: ANPET.

PNLT (2014) Ministério dos Transportes - Plano Nacional de Logística e Transporte. http://www2.transportes.gov.br/bit/01-inicial/pnlt.html. Acessado em 10/03/2014.

Qualtrics (2013) Qualtrics Online Surveys. www.qualtrics.com/. Acessado em 20/09/2013.

Quinlan, J. R. (1983) Learning efficient classification procedures and their application to chess end games. In: Michalski, R. S.; J. G. Carbonell e T. M. Mitchell (Ed.). Machine learning. [S.l.]: Springer, (Symbolic Computation). p. 463-482. DOI: 10.1007/978-3-662-12405-5_15.

Samanta, S. e M. K. Jha (2011) Modeling a rail transit alignment considering different objectives. Transportation Research Part A: Policy and Practice, Elsevier, v. 45, n. 1, p. 31-45. DOI: 10.1016/j.tra.2010.09.001.

Sartori, D.; G. Catalano; M. Genco; C. Pancotti; E. Sirtori; S. Vignetti e C. Del Bo (2004) Guide to cost-benefit analysis of invest-ment projects. Brussels: European Commission, DG Regional Policy.

TAV (2014) Trem de Alta Velocidade no Brasil. http://portal.antt.gov.br/index.php/content/view/5448/Trem_de_Alta_Velocidade___TAV.html

Wang, J. J.; C. Rong; J. Xu e S. W. O. Or (2012) The funding of hierarchical railway development in China. Research in Trans-portation Economics, Elsevier, v. 35, n. 1, p. 26-33. DOI: 10.1016/j.retrec.2011.11.004.




DOI: https://doi.org/10.14295/transportes.v25i3.1332

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2017 Cassiano Augusto Isler, João Alexandre Widmer

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

TRANSPORTES (ISSN: 2237-1346) é uma publicação da ANPET - Associação Nacional de Pesquisa e Ensino em Transportes (www.anpet.org.br)

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.