Estudo econométrico dos efeitos da disponibilidade de crédito na demanda por transporte aéreo no Brasil

Autores

  • Maria Catarina Torres de Carvalho Instituto Tecnológico de Aeronáutica - Brasil
  • Bruno F. Oliveira Instituto Tecnológico de Aeronáutica - Brasil
  • Alessandro V. M. Oliveira Instituto Tecnológico de Aeronáutica - Brasil http://orcid.org/0000-0002-5398-2787

DOI:

https://doi.org/10.14295/transportes.v28i3.1898

Palavras-chave:

Demanda. Consumo. Transporte aéreo. Econometria.

Resumo

A maior disponibilidade de crédito tem o potencial efeito de fomentar o consumo em uma economia, pelo menos a curto e médio prazos. No caso do transporte aéreo, pode estimular os parcelamentos de passagens aéreas, atraindo os gastos de extratos de consumidores de renda mais baixa, além de alavancar um número maior de viagens por parte do público tradicional. Adicionalmente, as empresas e corporações nacionais, com capital de giro potencialmente maior, em teoria podem dispender mais em viagens corporativas. O presente trabalho desenvolve uma modelagem empírica para testar o impacto na demanda por transporte aéreo da maior concessão de crédito na economia brasileira do final dos anos 2000. Utilizando dados estatísticos obtidos junto à Agência Nacional de Aviação Civil, montou-se um painel de dados com pares de cidades brasileiras para estimar um modelo econométrico de demanda por viagens aéreas, utilizando um estimador de variáveis instrumentais. Com esse modelo, testou-se diretamente a hipótese de efeito da disponibilidade de crédito na economia local como um dos fatores explicativos da demanda da aviação comercial brasileira no período.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANAC. (2016) 10 anos - Agência Nacional de Aviação Civil. 1st. ed. Brasília: ANAC, 195 p.

Bacchetta, P. e Gerlach, S. (1997). Consumption and credit constraints: International evidence. Journal of Monetary Economics, v. 40, n. 2, p. 207-238. DOI: 10.1016/S0304-3932(97)00042-1.

Belloni, A., Chen, D., Chernozhukov, V. e Hansen, C. (2012). Sparse models and methods for optimal instruments with an ap-plication to eminent domain. Econometrica, v. 80, n. 6, p. 2369-2429. DOI: 10.3982/ECTA9626.

Boonekamp, T., Zuidberg, J. e Burghouwt, G. (2018). Determinants of air travel demand: The role of low-cost carriers, ethnic links and aviation-dependent employment. Transportation Research Part A: Policy and Practice, v. 112, p. 18-28. DOI: 10.1016/j.tra.2018.01.004.

Borça Jr., G. e Guimarães, D. (2015). Impacto do ciclo expansionista de crédito à pessoa física no desempenho da economia brasileira 2004-2013. Revista do BNDES, n. 43, p. 157-159.

Jorge-Calderón, J. D. (1997). A demand model for scheduled airline services on international European routes. Journal of Air Transport Management, v. 3, n. 1, p. 23-35. DOI: 10.1016/S0969-6997(97)82789-5.

Cawley, G. C. e Talbot, N. L. (2010). On over-fitting in model selection and subsequent selection bias in performance evalua-tion. Journal of Machine Learning Research, v. 11, p. 2079-2107.

Di Maggio, M. e Kermani, A. (2017). Credit-induced boom and bust. The Review of Financial Studies, v. 30, n. 11, p. 3711-3758. DOI: 10.1093/rfs/hhx056.

Galeano, E. V. e Feijó, C. (2012). Crédito e crescimento econômico: evidências a partir de um painel de dados regionais para a economia brasileira nos anos 2000. Revista Econômica do Nordeste, v. 43, n. 2, p. 201-220.

Gall, N. (2008) A festa do crédito e a economia mundial: Dinheiro, ganância, tecnologia. Braudel Papers, n. 43.

Grosche, T., Rothlauf, F. e Heinzl, A. (2007). Gravity models for airline passenger volume estimation. Journal of Air Transport Management, v. 13, n. 4, p. 175-183. DOI: 10.1016/j.jairtraman.2007.02.001.

Kazda, A. e Caves, R. (2015) Airport Design and Operation. 3a. ed. Bingley: Emerald Group Publishing Limited. 569p.

Kohavi, R. (1995). A study of cross-validation and bootstrap for accuracy estimation and model selection. In International Joint Conference on Artificial Intelligence, v. 2, p. 1137-1143.

Maddala, G. S. e Lahiri, K. (1992). Introduction to econometrics, v. 2. New York: Macmillan.

Olney, M. L. (1999). Avoiding default: The role of credit in the consumption collapse of 1930. The Quarterly Journal of Eco-nomics, v. 114, n. 1, p. 319-335. DOI: 10.1162/003355399555927.

Sant'Anna, A. A., Borça Jr., G. e Araujo, P. Q. (2009). Mercado de crédito no Brasil: evolução recente e o papel do BNDES (2004-2008). Revista do BNDES, v. 16, n. 31, p. 58-59.

Soman, D. e Cheema, A. (2002) The effect of credit on spending decisions: The role of the credit limit and credibility. Market-ing Science, v. 21, n. 1, p. 32–53. DOI: 10.1287/mksc.21.1.32.155.

Valdes, V. (2015). Determinants of air travel demand in Middle Income Countries. Journal of Air Transport Management, v. 42, p. 75-84. DOI: 10.1016/j.jairtraman.2014.09.002.

Wooldridge, J. M. (2016). Introductory econometrics: A modern approach. Nelson Education.

Downloads

Publicado

2020-12-15

Como Citar

Carvalho, M. C. T. de, Oliveira, B. F., & Oliveira, A. V. M. (2020). Estudo econométrico dos efeitos da disponibilidade de crédito na demanda por transporte aéreo no Brasil. TRANSPORTES, 28(5), 43–56. https://doi.org/10.14295/transportes.v28i3.1898

Edição

Seção

Artigos