A produção científica em Logística Humanitária no século XXI: uma análise bibliométrica

Bianca Barreto Zary, Renata Albergaria de Mello Bandeira, Vania Barcellos Gouvêa Campos

Resumo


A logística humanitária obteve reconhecimento público de seu papel nas operações de resposta a desastres após o tsunami no Oceano Índico (2004), e, desde então, tem despontado como um novo campo de pesquisa. Dez anos após esta catástrofe, o presente artigo apresenta um estudo bibliométrico, com o objetivo de analisar o crescimento do conhecimento e identificar as tendências da comunicação escrita no ramo da Logística Humanitária nesta última década. O escopo da pesquisa consistiu em realizar uma análise estatística, integrando métodos bibliométricos e técnicas de análise de redes sociais, para proporcionar uma melhor compreensão do campo. A busca a partir de palavras chaves identificou 312 artigos publicados em revistas internacionais que foram analisados de acordo com diversos critérios com intuito de identificar um perfil do estudo em logística humanitária. Embora os resultados apresentados neste trabalho indiquem uma tendência crescente de estudos na área de logística humanitária a nível internacional, no campo nacional esta é ainda incipiente. A análise bibliométrica possibilitou obter uma melhor compreensão dos principais temas, conceitos e relações ligadas à ajuda humanitária. Como pode ser observado, houve uma forte tendência na direção dos estudos para o campo da pesquisa operacional. Os resultados sugerem que grande parte das pesquisas desenvolvidas até o momento apoia-se em bases teóricas relacionadas à problemas de redes (de localização e roteirização), à teoria da decisão (processo decisório e sistemas de suporte a decisão) e à gestão de riscos. 

 


Palavras-chave


Logística Humanitária, Revisão Bibliográfica, Análise Bibliométrica, Análise de Redes Sociais.

Texto completo:

PDF

Referências


APTE, A. (2009). Humanitarian logistics: A new field of research and action. Foundations and Trends in Technology, Information and Operations Management 3(1): 1-100.

ARAÚJO, C.A. (2006). Bibliometria: evolução histórica e questões atuais. Em questão. Porto Alegre, v. 12, n. 1, p.11-32, Jan / Jun. Available at: . Accessed in november 25, 2013.

BALCIK, B.; BEAMON, B.M.; KREJCI, C.C.; MURAMATSU, K.M.and RAMIREZ, M. (2010). Coordination in humanitarian relief chains: Practices, challenges and opportunities. International Journal Production Economics. Science Direct, 126 (1), pp.22-34.

BASTOS, M.; CAMPOS, V.; BANDEIRA, R. Logistics processes in a post-disaster relief operation. Procedia – Social and Behavioral Sciences, V. 111, n. 5, p. 1175-1184.

BEAMON, B., KOTLEBA, S. (2006). Inventory modeling for complex emergencies in humanitarian relief operations. International Journal of Logistics: Research and Applications, v. 9, n. 1, p. 1-18.

BERTAZZO, T., BRITO JUNIOR, I., LEIRAS, A. e YOSHIZAKI,H. (2013) Revisão da literatura acadêmica brasileira sobre a gestão de operações em desastres naturais com ênfase em logística humanitária. Transportes, v. 21, n.3, p. 31-39.

CAMPOS, V.; BANDEIRA, R.; BANDEIRA, A. A method for evacuation route planning in disaster situations. Procedia – Social and Behavioral Sciences, V. 54, n. 5, p. 503-512.

CELIK, M.; ERGUN, O.; JOHNSON, B.; KESKINOCAK, P.; LORCA, A.; PEKGUN, P. and SWANN, J. (2012) Humanitarian Logistics.Tutorial in Operations Reserch – Informs.

COSTA, S.; BANDEIRA, R.A.M.; CAMPOS, V.; BANDEIRA, A.P.F. Revisão sobre modelagem matemática na logística humanitária. Transportes, v. 22, n. 2, p. 70-84.

COSTA, S.; CAMPOS, V.; BANDEIRA, R. (2012) Supply Chains in Humanitarian Operations: Cases and Analysis Original. Procedia - Social and Behavioral Sciences, V. 54, p. 598-607.

COZZOLINO, A. (2012). Humanitarian Logistics, SpringerBriefs in Business.

ERTEM, M., BUYURGAN, N. and ROSSETTI, M. (2010). Multiple-buyer procurement auctions framework for humanitarian supply chain management. International Journal of Physical Distribution & Logistics Management, v. 40, n. 3, p. 202-227.

GUNHA-SAPIR, D.; HOYOIS, P. e BELOW, R. (2013). Annual Disaster Statistical Review 2012: The numbers and trends. Centre for Research on the Epidemiology of Disasters. Brussels: CRED; 2013. Available at: . Accessed in november 13, 2013.

JAHRE. M, JENSEN, L, LISTOU, T. (2009) Theory Development in humanitarian logistics: a framework and three cases. Management Research News, v. 32, m. 11, pp. 1008-23.

KENT, R. (2004). International humanitarian crises: two decades before and two decades beyond. International affairs, v. 80, n. 5, pp.153-72.

KOVACS, G. e SPENS, K. (2007). Humanitarian logistics in disaster relief operations. International Journal of Physical Distribution & Logistics Management, v. 37, n. 2, p. 99-114.

KOVACS, G., SPENS, K. (2009). Identifying challenges in humanitarian logistics. International Journal of Physical Distribution & Logistics Management, v. 39, n. 6, p. 506-528.

LAVELL, A. (2003). Gestión Local del riesgo. Nociones y precisions en torno al conceptoy la práctica, CEPREDEAC-PNUD.

NATARAJARATHINAM, M.; CAPAR, I. E NARAYANAN, A. (2009) Managing supply chains in times of crisis: a review of literature and insights. International Journal of Physical Distribution and Logistics Management 39(7), 535-573.

NICHOLSON, A. (2003) Transport network reliability measurement and anal-ysis. Revista Transportes. v. 11, p. 49–62.

NIELSEN, L. (2011). Classifications of Countries Based on Their Level of Development: How it is Done and How it Could be Done. International Monetary Fund.Available at: . Accessed in november 28, 2013.

NOGUEIRA,C.; GONÇALVES, M. e NOVAES A. (2008) Logística humanitária e Logística empresarial: Relações, conceitos e desafios. Novembro. Rio de Janeiro.

ONU BR (2012): Rio+20 O futuro que queremos. Fato sobre Desastres, junho. Brasil. Available at: . Accessed in november 7, 2013.

OVERSTREET, R., HALL, D., HANNA, J., RAINER, K.(2011) Research in humanitarian logistics. Journal of Humanitarian Logistics and Supply Chain Management, v.1, n. 2., pp. 114-31.

THOMAS, A.; MIZUSHIMA, M. (2005). Logistics training: necessity or luxury? Forced Migration Review 22(1):60-61.

THOMAS, A.S. (2003) Humanitarian Logistics: Enabling Disaster Response. Fritz Institute.

THOMAS, A.S. e KOPCZAK, L.R. (2005) From Logistics to Supply Chain Management: The Path Forward in the Humanitarian Sector. Fritz Institute.

TRUNICK, P. (2005). Special report: delivering relief to tsunami victims. Logistics Today, Vol. 46 No. 2, pp. 1-3.

VAN WASSENHOVE, L. (2006) Humanitarian aid logistics: supply chain management in high gear. Journal of the Operational Research Society. 57, 475-498.

VAN WASSENHOVE, L. N.; TOMASINI, R. (2009). Humanitarian logistics. Insead Business Press.

VAN WASSENHOVE, L.N. (2006). Humanitarian aid logistics: supply chain management in high gear. Journal of Operational Research Society 57 (5) 475–489, 2006.

WATANUKI, H.; NADAE, J.; CARVALHO, M. MORAES, R. (2014) Gestão de projetos internacionais: um estudo bibliométrico. Gestão & Produção , 21 ( 3), 660-675.




DOI: https://doi.org/10.14295/transportes.v24i2.883

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2016 Bianca Barreto Zary, Renata Albergaria de Mello Bandeira, Vania Barcellos Gouvêa Campos

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

TRANSPORTES (ISSN: 2237-1346) é uma publicação da ANPET - Associação Nacional de Pesquisa e Ensino em Transportes (www.anpet.org.br)

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.