Análise da severidade dos acidentes com motocicletas utilizando modelos probit e logit ordenados

Carlos Henrique Loiola Coutinho, Flávio José Craveiro Cunto, Sara Maria Pinho Ferreira

Resumo


O ambiente de circulação rodoviário brasileiro tem apresentado um aumento desproporcional da utilização de motocicletas ao longo dos últimos 15 anos. A mesma tendência acompanha o número de acidentes de trânsito da categoria em parte por sua relativa vulnerabilidade. O objetivo deste trabalho é identificar fatores que influenciam a severidade dos acidentes com motocicletas nas vias urbanas de Fortaleza com a utilização dos modelos ordenados do tipo probit e logit. Foram desenvolvidos modelos ordenados categóricos utilizando uma amostra com 3.232 observações de acidentes de trânsito de 2004 a 2011. A severidade resultante dos acidentes de trânsito foi classificada em quatro categorias. Os resultados da calibração dos modelos indicaram que motociclistas que utilizam capacete e pilotam durante o dia têm um menor risco de sofrer lesões mais graves. De outra forma, motociclistas mais velhos e que sofreram acidente ocorrido em finais de semana apresentaram um maior risco de lesões mais graves

Palavras-chave


modelos ordenados, severidade dos acidentes com motocicletas, modelos categóricos probit e logit.

Texto completo:

PDF

Referências


Abdel-Aty, M. (2003) Analysis of Driver Injury Severity Levels at Multiple Locations Using Ordered Probit Models. Journal of Safety Research, v. 34, n. 5, p. 597-603. DOI:10.1016/j.jsr.2003.05.009.

AMC (2012) Anuário estatístico de acidentes de trânsito de Fortaleza – 2004 à 2011. Autarquia Municipal de Trânsito, Serviços Públicos e Cidadania, Prefeitura Municipal de Fortaleza, Fortaleza, CE.

Bajracharya, S. (2013) Intersection Accident Analysis Using Ordered Probit Model. Proceedings of Eastern Asia Society for Transportation Studies, v. 9, p. 379. ISSN:1881-1132

Chung, Y.; Song, T. E B. Yoon (2014) Injury Severity in Delivery-motorcycle to Vehicle Crashes in the Seoul Metropolitan Area. Accident Analysis and Prevention, v. 62, p. 79-86. DOI: 10.1016/j.aap.2013.08.024.

Couto, A. E S. Ferreira (2012) Método Probabilístico para Identificação de Zonas de Acumulação de Acidentes. Anais do XXVI Congresso de Pesquisa e Ensino em Transportes, ANPET, Joinville, v. 21, n. 3, p. 48-55. DOI:10.4237/transportes.v21i3.683.

Ferreira, S. (2010) A Segurança Rodoviária no Processo de Planeamento de Redes de Transportes. Ph.D. dissertation, University of Porto.

Greene, W.H. E D.A Hensher (2010) Modeling Ordered Choices: A Primer and Recent Developments, Cambridge University Press, Cambridge.

Holz, R. F. (2013) Motocicletas: Uma Realidade Inconveniente.

Qualificação de Doutorado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS.

Holz, R. F.; Korzenowski, A.; Nodari, C. T.; Lindau, L. A. E C. S. T Caten (2011) Modelagem dos Acidentes Envolvendo Motociclistas em Porto Alegre. Anais do XXV Congresso de Pesquisa e Ensino em Transportes,

ANPET, Belo Horizonte. Panorama Nacional da Pesquisa em Transportes, v. 1, p. 1553-1564.

INCT (2013) Evolução da Frota de Automóveis no Brasil 2001 – 2012. Observatório das Metrópoles, Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia, Ministério de Ciência e Tecnologia, Brasília, DF.

Kockelman, K. M. E Y. J. Kweon (2002) Driver Injury Severity: an Application of Ordered Probit Models. Accident Analysis and Prevention, v. 34, p. 313-321. DOI: 10.1016/S0001-4575(01)00028-8.

Kononen, D. W.; Flannagan, C. E S. Wong (2011) Identification and Validation of a Logistic Regression Model for Predicting Serious Injuries Associated with Motor Vehicle Crashes. Accident Analysis and Prevention, v. 43, n. 1, p. 112-122. DOI: 10.1016/j.aap.2010.07.018.

Mannering, F. L. E C.R. Bhat (2014) Analytic Methods in Accident Research: Methodological Frontier and Future Directions. Analytic Methods in Accident Research, v. 1, p. 1-22. DOI: 10.1016/j.amar.2013.09.001.

O’donnell, C. J. E D.H. Connor (1996) Predicting the Severity of Motor Vehicle Accident Injuries Using Models of Ordered Multiple Choice. Accident Analysis and Prevention, v. 28, n. 6, p. 739-753. DOI: 10.1016/S0001-4575(96)00050-4.

Obeng, K. (2011) Gender Differences in Injury Severity Risks in Crashes at Signalized Intersections. Accident Analysis and Prevention, v. 43, n. 4, p. 1521-1531. DOI: 10.1016/j.aap.2011.03.004.

Velozo, P. L. C. (2009) Modelos para Dados Categóricos com Estrutura Temporal. Dissertação de Mestrado, Instituto de Matemática, Departamento de Métodos Estatísticos, UFRJ, Rio de Janeiro.

Waiselfisz, J.J. (2013) Mapa da violência 2013: Acidentes de Trânsito e Motocicletas. Rio de Janeiro.

Yasmin, S. E N. Eluru (2013) Evaluating Alternate Discrete Outcome Frameworks for Modeling Crash Injury Severity. Accident Analysis & Prevention, v. 59, p. 506-521. DOI: 10.1016/j.aap.2013.06.040.

Ye, F. E D. Lord (2014) Comparing Three Commonly Used Crash Severity Models on Sample Size Requirements: Multinomial Logit, Ordered Probit, and Mixed Logit. Analytic Methods in Accident Research, v. 1, p. 72-85. DOI: 10.1016/j.amar.2013.03.001.




DOI: https://doi.org/10.14295/transportes.v23i4.926

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2015 Carlos Henrique Loiola Coutinho, Flávio José Craveiro Cunto, Sara Maria Pinho Ferreira

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

TRANSPORTES (ISSN: 2237-1346) é uma publicação da ANPET - Associação Nacional de Pesquisa e Ensino em Transportes (www.anpet.org.br)

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.